Sejam bem vindos!

Um dos requisitos necessários ao professor da atualidade é manter-se atualizado em sua área, inovar sempre e demonstrar criatividade e disposição para modificar e melhorar a sua prática pedagógica.

Portanto, este blog foi criado para auxiliar nesta tarefa, contribuindo para a troca de experiências, com novas ideias, sugestões, textos teóricos, mensagens reflexivas, vídeos e muito mais.

Espero que todos apreciem, dê a sua sugestão do que gostaria de ver postado aqui e deixe o seu recado, ficarei muito satisfeita em atender as solicitações sempre que possível.

Bom passeio a todos!



terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Sugestões de brincadeiras para a educação infantil.

  • Mural de bexigas: Material: Barbante, bexigas coloridas, caneta para retroprojetor, fita adesiva, tesoura com ponta arredondada. Colocando em prática: Entregue uma bexiga para cada criança. Oriente-as a encherem-nas e auxilie-as a darem um nó no bico. Peça para desenharem, no balão, uma carinha sorrindo e, do lado oposto a esta figura, escreverem o seu nome. Depois, recolha todas as bexigas e amarre-as, lado a lado, em um fio de barbante. Fixe as extremidades do fio nas paredes da sala, em uma altura que possibilite que as crianças alcancem os balões. Então, solicite que procurem pela bexiga que contém o seu nome e ajudem os outros a encontrarem as deles.
  • Corrida do Tênis: Os participantes deverão retirar os tênis e colocá-los distantes. Dada a largada, eles deverão correr e calçá-los o mais rápido possível. Em seguida, as crianças serão divididas em duplas e cada criança buscará o calçado do seu par.
  • Coelho sai da toca. Objetivos: Desenvolver a destreza e a agilidade motora; adquirir hábitos de cooperação nas atividades em equipe, assumindo responsabilidades, auxiliando os membros da equipe e respeitando suas regras. Desenvolvimento: As crianças formarão uma toca: duas a duas com as mãos para cima e dentro de cada toca ficará outra criança que será o coelho. Um coelho ficará sem toca. O professor dirá: “Coelho sai da toca”, as crianças que forem coelhos deverão trocar imediatamente de toca e o coelho que estava fora tentará entrar na próxima vez. Depois troca, a criança que era coelho passa a ser toca e o que era toca passa a ser coelho, e continua a brincadeira. Depois de algumas vezes, troca novamente até que todas as crianças tenham sido coelhos.
  • Como anda o equilibrista? Meça e corte um fio de barbante de aproximadamente 2 m e coloque-o esticado no chão. Peça que as crianças se organizem em uma fila indiana e oriente-as a andarem sobre o fio sem perder o equilíbrio. Nesta atividade, também pode ser pedido que as crianças andem em cima de bancos de madeira.
  • Varinha mágica: as crianças deverão ficar com os olhos fechados. O professor deverá encostar uma varinha (varinha mágica) em uma parte do corpo de uma criança, a qual deverá dizer o nome da parte do corpo tocada pela varinha. E assim continua a brincadeira repetindo a atividade com as outras crianças.   
  • Corrida dos sapatos: divide-se a equipe em duas fileiras, uma criança do lado da outra. Todos os participantes tiram os sapatos e depositam a uma distância de 5 m (todos misturados). Dado o sinal, todas as crianças saem pulando com o pé esquerdo até encontrar o seu par de sapatos e calçá-los. Assim que terminarem de calçar, voltam rapidamente para o lugar.
  • Brincadeiras com as pernas e com os pés: o professor realizará diversas atividades com as crianças envolvendo as pernas e os pés: Levantar as pernas para o alto e imitar uma bicicleta; abaixar e levantar as pernas; separar as pernas e olhar por entre elas; bater uma perna ou um pé no outro; esticar as pernas; girar os pés; bater as mãos nos pés; saltar obstáculos; correr contornando obstáculos; andar na ponta dos pés; pular com um pé só e outros.
  • Andando em zigue-zague: O professor deverá colocar diversas caixas de papelão afastadas umas das outras. As crianças deverão caminhar em ziguezague ora para fora, ora para dentro até o final do percurso com os cones. Esta atividade tem como objetivo fixar a dominância de um segmento sobre o outro mediante um máximo de vivências motoras e experimentar ao máximo os movimentos que requeiram o uso diferenciado de um lado e do outro do corpo.
  • Atividades com pneus: Rolar o pneu livremente; caminhar sobre os pneus colocados no chão; ficar um de frente para o outro e rolar o pneu; andar em cima dos pneus; correr atrás do pneu rolando; rolar com as mãos e outros. Os objetivos desta atividade são desenvolver a eficácia das diversas práxias globais e segmentares; desenvolver o domínio do equilíbrio e da postura; desenvolver a orientação espaço temporal, uma boa orientação e lateralidade.
  • Espantalho: Forma-se duas equipes com o mesmo número de integrantes cada uma, sendo que uma criança de cada equipe deverá ser o espantalho. O professor prende a mesma quantidade de grampos na roupa de cada espantalho. Dado o sinal de início, os primeiros de cada equipe começam a tirar os grampos dos espantalhos, colocando-os dentro de um pote. Dado o próximo sinal, os dois participantes entregam os potes para os próximos da fila, que continuam a brincadeira. A brincadeira continua até que todos os grampos sejam retirados. Depois disso, inicia-se novamente a brincadeira escolhendo outros espantalhos.
  • Bola ao alvo: Condutas trabalhadas: Tonicidade (força muscular), organização espacial, coordenação viso-motora. Material: Uma bola de borracha n.º8 e um bambolê. Desenvolvimento: O professor dispõe as crianças em fila e fica de frente para eles, a uma distância não muito grande. No meio do espaço entre professor/turma fica um bambolê no chão. O exercício consiste em jogar a bola para a primeira criança da fila batendo-a no chão dentro do bambolê. A criança então pega a bola e a joga de volta para o professor, tentando fazer o mesmo movimento (batendo-a dentro do bambolê). Assim que todos tiverem ido, o professor pode aumentar a distância entre ele e as crianças, fazendo com que elas tenham de lançar a bola batendo-a no chão um pouco mais forte.
  • Gangorra: As crianças põem-se de pé de frente um para o outro, com as mãos dadas e os braços estendidos. Enquanto um se abaixa, flexionando os joelhos, o outro estica-se até ficar na ponta dos pés.
  • Caracol: As crianças dão-se as mãos sendo que o educador fica na ponta: o educador começa a enrolar, a entrelaçar por entre as crianças, formando um caracol.
  • Refazendo o túnel: No pátio o professor coloca as crianças dispostas em quatro fileiras com o mesmo número de crianças. Elas formarão dois túneis, ficando um de frente para o outro, corpos afastados, com os braços estendidos para o alto e de mãos dadas. A um sinal do professor, as duas últimas crianças de cada fileira iniciam a passagem por baixo do túnel, sendo seguidos pelos colegas.
  • Carrinhos de mão: A criança deitada com as duas mãos apoiadas no chão, o educador segura a criança pelo tornozelo, ajudando-a a andar como carrinho.
  • Varrendo a bola: Objetivos: Desenvolver a coordenação motora ampla; fixar a dominância de um segmento sobre o outro mediante um máximo de vivências motoras; definir estruturação espacial e tomada de consciência do seu corpo em um ambiente. Procedimentos: A turma deverá ser dividida em duas colunas com o mesmo número de participantes. As primeiras crianças de cada coluna deverão ficar com um cabo de vassoura e uma bola cada uma. Dado o sinal, as crianças deverão varrer a bola com o cabo de vassoura, até uma linha de chegada determinada pela turma e voltar. Ao voltar, o próximo colega continua a brincadeira.
  • Cabo de guerra: objetivos: Desenvolver a percepção da força e do equilíbrio; participar de atividades corporais estabelecendo relações equilibradas, reconhecendo e respeitando as características físicas de si próprios e dos outros. Procedimentos: A turma deverá ser dividida em duas equipes. Cada equipe fica de um lado da linha do centro segurando a metade da corda. Dado o sinal, as equipes deverão tentar puxar a equipe adversária para o seu lado, puxando a corda. Quem conseguir puxar a outra equipe para o seu lado, será a equipe vencedora.
  • Morto e Vivo: Objetivos: desenvolver a atenção e a agilidade motora; respeitar as regras do jogo, colaborando na participação da equipe. Procedimentos: O professor inicia a brincadeira dizendo Morto (as crianças deverão se agachar). Logo em seguida dirá Vivo (as crianças deverão ficar de pé). Depois o professor poderá repetir a mesma palavra duas ou três vezes, e assim por diante.
  • Pula saco: Objetivos: desenvolver o controle e a eficácia das diversas práxias globais e segmentares; desenvolver o domínio do equilíbrio e da postura; adquirir noção de direção e localização. Procedimentos: formar duas colunas com o mesmo número de participantes cada uma. As duas primeiras crianças deverão entrar dentro de um saco. Dado o sinal, as duas crianças deverão sair correndo (pulando) até um lugar determinado e voltar, quando chegarem na fila irão passar o saco para o próximo. Ganha a fila que terminar primeiro.
  • Corrida de um pé só: Objetivos: Desenvolver o equilíbrio, a força e a musculatura das pernas e pés durante a corrida; realizar movimentos com diferentes velocidades e contrações musculares de diferentes intensidades. Procedimentos: a equipe deverá estabelecer uma linha de início e uma linha de chegada. Todos os participantes saem pulando com um pé só da linha de início até a linha de chegada. O vencedor será o primeiro a chegar.
  •  Brincadeiras com as mãos e com os braços: o professor realizará diversas atividades com as crianças envolvendo as mãos e os braços: balançar livremente os braços e as mãos; bater palmas; imitar a aranha subindo; imitar a borboleta ou o avião voando; juntar a ponta dos dedos; bater palmas de acordo com uma música; bater palmas uma criança de frente para a outra; amassar folhas de jornal.
  • Boneco de massas: as crianças brincam em dupla. Uma criança deverá ser o boneco de massas e a outra o modelador. O modelador deverá modelá-lo fazendo as posições que quiser, movimentando o corpo do outro. Depois troca, quem era o boneco vira o modelador e o outro o boneco de massas.
  • Corrida do canguru. Objetivos: Desenvolver a destreza e a agilidade motora; desenvolver o controle e a eficácia das diversas práxias globais e segmentares; adquirir noção de direção e localização. Procedimentos: A turma deverá se dividir em duas colunas. Os primeiros integrantes de cada fila deverão colocar uma bola entre suas testas. Dado o sinal, as duas crianças deverão sair caminhando até o local determinado e voltar sem deixar cair a bola. A dupla seguinte continua a brincadeira.
  • Identificando os calçados pelo tato: Objetivos: Discriminar o seu tênis através do tato, entre vários. Procedimentos: Nessa brincadeira, todas as crianças deverão tirar seu calçado e levar a um lugar determinado. O professor misturará todos os calçados, deixando mais desafiador para as crianças procurarem. As crianças formam duas filas, com o mesmo número em cada uma. Dado o sinal de início, os primeiros de cada fila, com os olhos vendados, saem correndo até os calçados e identificando-os pelo tato, os colocam. Depois de colocar verificam se são seus os calçados colocados. Quando retornam, os próximos da fila continuam a brincadeira, até que todas as crianças tenham colocado seus calçados.
  • Pula-varetas. Objetivos: Definir estruturação espacial e tomada de consciência do seu corpo em um ambiente; desenvolver a eficácia das diversas práxias globais e segmentares. Procedimentos: o professor deverá colocar algumas varetas (podem ser cabos de vassoura) no chão com distância de vinte centímetros voltando para o início, mas elas não deverão pular nas varetas. Ora pularão com um pé, ora com o outro, ora com os dois. As outras crianças continuam a brincadeira, até que todos tenham participado.
  • Passe a bola. Objetivos: Contribuir para o reconhecimento do nome das crianças do grupo; contribuir para o desenvolvimento da práxia ampla (coordenação motora) e da atenção; experimentar ao máximo os movimentos que requeiram o uso diferenciado de um lado e do outro do corpo. Procedimentos: As crianças deverão permanecer sentadas em forma de círculo, afastadas e voltadas para o centro. A professora lança a bola para uma criança que estiver na roda. Iniciam cantando uma música, esta criança deve passar a bola para a pessoa que está ao seu lado e assim por diante. Quando terminar a música ou ao sinal da professora, quem estiver com a bola deverá dizer o seu nome.
  • Estátua: Objetivos: Expressar-se de diversas formas por meio da música; desenvolver o freio inibitório no momento em que precisam ficar paradas. Procedimentos: O professor liga uma música, as crianças deverão dançar livremente, quando o professor desligar a música, as crianças deverão ficar paradas em forma de estátua, quando o professor ligar novamente a música, as crianças continuarão a brincadeira. Variação: Quando o professor desligar a música, as crianças deverão imitar um animal, retornando à dança quando ligar a música.
  • Corrida do livro. Objetivos: Desenvolver o domínio do equilíbrio e da postura; adquirir noção de direção e de localização. Procedimentos: Divide-se a turma em duas equipes, os primeiros de cada equipe deverão correr com um livro na cabeça, sem segurar com as mãos e sem deixar cair, até uma linha determinada e voltar, passando o livro para a próxima criança que continuará a brincadeira. A criança que deixar o livro cair deve voltar para o início, ou seja, o local de saída.
  • Duro ou mole. Objetivos: Desenvolver a socialização e a colaboração com o grupo; desenvolver a agilidade motora; adotar atitudes de respeito mútuo, dignidade e solidariedade em situações lúdicas, promovendo a integração entre as crianças. Procedimentos: As crianças deverão se espalhar no pátio imitando um boneco mole, ou seja, balançando o corpo e uma criança escolhida por sorteio deverá ser o pegador. Enquanto brincam, o pegador tenta pegar os bonecos moles, quando pegos, eles se transformam em bonecos duros e devem ficar parados até que outra criança transforme-os novamente em bonecos moles.
  • Pisar na sombra. Objetivos: Contribuir para o desenvolvimento da agilidade e da percepção do próprio corpo, bem como promover a socialização entre as crianças. Procedimentos: Essa brincadeira só poderá ser realizada em um dia com sol e em um espaço aberto. Neste espaço, as crianças deverão correr para todos os lados. Uma criança será escolhida para ser o caçador e deverá pisar na sombra das crianças. 
  • O pulo do sapo. Objetivos: Desenvolver o esquema corporal, expressando-se de diversas formas. Procedimentos: Marcar na quadra uma linha de partida e uma de chegada. Dado o sinal, as crianças deverão pular imitando o sapo até a linha de chegada, quem chegar primeiro será o vencedor.
  • Corrida dos animais: todas as vezes que iniciam a brincadeira, as crianças deverão combinar qual o animal que deverá ser imitado, também deverá ser combinada uma linha de saída e uma linha de chegada. As crianças ficam todas atrás de uma linha. Dado o sinal, elas saem imitando um animal estabelecido no início do jogo, até a linha de chegada. Vence a criança que chegar primeiro do outro lado.
  • Gato e rato: as crianças se colocam em um círculo com uma delas fora dele, este será o “rato”. O rato toca as costas de um amigo da roda, que se tornará o “gato”. Este sai da roda e corre atrás do rato que tem de ocupar o lugar do gato. Se isso acontecer, o gato se torna rato e tudo começa de novo. Se o rato for pego, continuará sendo rato.
  • Quem sou eu? Forme um círculo com as crianças. Uma criança fica no centro com os olhos vendados, enquanto a roda gira para a direita e depois para a esquerda. O jogador do centro bate palmas e a roda pára. Em seguida, aponta para um amigo que está na roda e este diz bem alto e disfarçando a voz: Bom dia! O do centro terá que reconhecer a voz e dizer quem é o amigo. Se ele acertar, o amigo assume seu lugar. Se errar, terá que fazer outra tentativa passando as mãos no rosto do amigo. Se ainda assim errar, ele sai do centro e fica uma vez sem jogar.
  • Feijão queimou: as crianças fazem um círculo de mãos dadas, mas sem fechar. A primeira será o cabeça e irá conduzir a fila. Para começar, ele irá dizer: Cabeça: Feijão queimou! Todos: Quem queimou? Cabeça: Foi a vovó! Todos: Dá uma volta? Cabeça: Eu dou! O cabeça do grupo puxa a fileira e passam todos por baixo das mãos da primeira dupla do outro lado da fila. Quando passarem todos, a segunda criança vai ficar de costas com os braços cruzados sobre o peito. Nenhuma criança poderá soltar os braços, para não arrebentar a corrente. Começa tudo novamente até que todos passem e fiquem na mesma posição. Quando terminar, somente as crianças das extremidades da fila estarão ao contrário das demais. Alinhe lentamente as crianças para que ninguém se solte, colocando-os lado a lado. Divida a fila em dois grupos, como um cabo de guerra. Ao ouvir o sinal vão puxar para lados opostos. O grupo de deixar arrebentar a corrente perde.
  • Brincar de guiar o amigo, sendo que um vai estar com os olhos vendados e o outro será o guia do primeiro. Em um segundo momento, os parceiros irão mudar de lugar e quem estava guiando agora vai ser guiado.
  • Brincando de espelho vivo: Objetivos: Desenvolver o esquema corporal expressando-se de diversas formas e discriminar a capacidade de reprodução de imitar um amigo. Procedimentos: uma criança é o espelho e a outra deverá realizar os movimentos. Esta deverá realizar os movimentos diversos em frente ao espelho e o espelho deverá imitar.
  • Quem é o fantasma? Objetivos: Contribuir para o desenvolvimento da percepção de forma. Procedimentos: A turma será dividida em duas equipes: uma deverá ficar dentro e a outra fora da sala. As crianças que estiverem dentro da sala enviarão uma criança coberta com um lençol que será o fantasma. As crianças que estiverem fora da sala deverão adivinhar quem é o fantasma. Depois as crianças que estiverem fora da sala enviarão um fantasma para a turma que estiver dentro da sala. E assim continua a brincadeira até que todas as crianças tenham participado.
  • Joga a Bola! Objetivos: Contribuir para o desenvolvimento da tonicidade e fixar a dominância de um segmento sobre o outro mediante as vivências motoras. Procedimentos: Em um espaço aberto, as crianças deverão ficar em forma de círculo. Uma criança será escolhida para ficar no meio da roda com uma bola. Dado o sinal, esta criança jogará a bola para outra criança, que deverá pegar a bola e ocupar o local do centro, a criança que estava no centro ficará no local da que estava no círculo e assim segue a brincadeira.
  • Corrida do contrário: Objetivos: contribuir para o desenvolvimento da agilidade motora e desenvolver o esquema corporal expressando-se de diversas formas. Procedimentos: Traçam-se duas linhas. Os participantes deverão ser divididos em duas equipes que ficarão de costas uma para a outra. Dado o sinal os participantes viram-se e correm até a linha do outro lado. Quem chegar primeiro será o vencedor.
  • Corrida do sopro. Objetivos: Contribuir para o desenvolvimento da musculatura do rosto e da boca. Procedimentos: As crianças deverão sentar-se em volta da mesa ou no chão, uma de frente para a outra. Sobre a mesa e/ou um papel A3, a professora coloca algumas bolinhas de papel e cada criança deverá assoprar para o lado contrário. Vence quem conseguir levar mais bolinhas para o lado contrário.
  • Lenço atrás: Objetivos: Contribuir para socialização entre as crianças; desenvolver a práxia (coordenação motora) e agilidade enquanto as crianças correm do pegador. Procedimentos: as crianças deverão permanecer sentadas em círculo, voltadas para o centro e afastadas umas das outras. Escolhida por sorteio, uma criança permanecerá fora com um lenço na mão. Dado o sinal, o jogador de posse do lenço, anda atrás das crianças enquanto todos cantam a música abaixo. Depois da última palavra da música, a criança coloca o lenço atrás de outra, e esta deverá correr para pegá-la. E assim, inicia novamente a brincadeira. Música: Corre cutia, na casa da tia. Corre cipó, na cada da avó. Lencinho branco caiu no chão, moça bonita do meu coração. Posso jogar? Pode.
  • Varal colorido: Habilidades motoras trabalhadas: Coordenação motora global, agilidade motora, velocidade e preensão manual. Desenvolvimento: juntam-se todas as crianças em um espaço aberto, formando uma grande fileira. Todas ficam com um lenço na mão e longe delas arma-se um varal, a uma altura em que elas possam alcançá-los. Dado o sinal, a primeira criança sai correndo e pendura bem rápido o seu lenço no varal. Depois que ela volta ao lugar, sai outra criança e assim por diante.
  • Movimento: Passarela do movimento: Habilidades motoras trabalhadas: Coordenação motora global, equilíbrio, agilidade, força. Desenvolvimento: Disponha os colchonetes em sequência no chão, formando a passarela. As crianças vão desfilar, realizando várias movimentações diferentes e em diversas posições: todos engatinham na passarela (ida e volta); depois todos rolam (ida e volta); crianças ao lado da passarela: agora ficam com as duas mãos em cima da passarela e o resto do corpo fora dela. Caminham lateralmente – 2 passos com os pés e depois com as mãos; o contrário da atividade anterior: os pés ficam na passarela e as mãos fora; agora se rastejam na passarela como uma cobra; dando cambalhotas.
  • Movimento:Corrida do copo d´água: Objetivos: Desenvolver o domínio do equilíbrio e da postura; adquirir noção de direção e da localização. Procedimentos: Divide-se a turma em duas equipes com o mesmo número de participantes cada uma. Dado o sinal do início, o primeiro de cada equipe corre com o copo na mão sem deixar a água cair até um local determinado, voltando e passando o copo para o próximo da fila. Esta criança deverá continuar a brincadeira e assim, sucessivamente até que todos tenham participado.
  • Corrida do saci: Objetivos: Fixar a dominância de um segmento sobre o outro mediante vivências motoras; desenvolver a destreza e a agilidade motora; adquirir hábitos de cooperação nas atividades em equipe, assumindo responsabilidades, auxiliando os membros da equipe e respeitando suas regras. Procedimentos: Para realizar essa brincadeira, o professor fará duas linhas no chão, bem distantes uma da outra. Uma delas será a saída e a outra a chegada. Cada participante ficará atrás da linha da saída. Dado o sinal de largada, as crianças saem pulando e imitando um saci (com uma perna só). Vence a criança que chegar primeiro na linha de chegada.
  • Fazer a brincadeira: Arranca-rabo: Objetivos: Desenvolver a agilidade, a percepção visual e o esquema corporal; realizar movimentos com diferentes velocidades e contrações musculares de diferentes intensidades. Material: Tiras de papéis de duas cores e fita para anexá-los na roupa das crianças. Procedimentos: Separa-se o grupo em duas equipes, cada equipe recebe uma cor de rabo. O rabo será colocado em cada criança e colado com uma fita. Dado o sinal, as crianças de cada grupo devem correr e arrancar o rabo das crianças da equipe adversária, cuidando para ninguém pegar o seu. No sinal do professor, as crianças param e verificam qual equipe conseguiu arrancar mais rabos, sendo a vencedora.

9 comentários:

  1. Parabéns pelo Blog...Gostei bastante !!!

    ResponderExcluir
  2. Amei as dicas!!! o Blog não será atualizado!
    Obrigada!!!

    ResponderExcluir
  3. Muito bacana, adorei as atividades.

    ResponderExcluir
  4. parabéns ótimas atividades!

    ResponderExcluir
  5. Gostei demais das suas dicas.. as crianças gostaram demais e querem repetir! Muito obrigada. Abraços

    ResponderExcluir
  6. As ideias são muito interessantes e úteis para o desenvolvimento psicossocial das crianças.
    Adorei!!!!!!!!!!!!!!!
    Parabéns por colaborar com a educação do Brasil.

    ResponderExcluir
  7. Adorei!!Parabéns!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. amei suas dicas Deus abençoe...


    ResponderExcluir